fbpx

O que é Glaucoma?

Os olhos são órgãos sensoriais muito importantes, complexos e sensíveis. São inúmeras as doenças que podem afetar a capacidade enxergar e provocar sintomas ruins, acarretando em problemas como a maneira que percebemos o mundo ao redor.

Entre essas doenças, destacamos o Glaucoma. Vamos abordar nesse artigo o que é essa doença, seus sintomas, tratamento, e como procurar ajuda para encontrar a melhor solução.

O que é Glaucoma?

O glaucoma é uma doença ocular caracterizada por alteração do nervo óptico que leva a um dano irreversível das fibras nervosas e, conseqüentemente, perda de campo visual. Essa lesão pode ser causada por um aumento da pressão ocular ou uma alteração do fluxo sanguíneo na cabeça do nervo óptico.

O glaucoma é considerado como a principal causa de cegueira irreversível no mundo e isso ocorre por ser um quadro que não apresenta sintomas em grande parte dos casos. A doença pode estar presente e a pessoa não percebe causando uma piora do quadro e progressivamente uma lesão irreversível do nervo que, por sua vez, afeta o campo de visão.

Segundo alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS), são registrados 2,4 milhões de novos casos de glaucoma anualmente, o que totaliza mais de 60 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Glaucoma, a doença atinge 2% dos brasileiros acima dos 40 anos, resultando em cerca de um milhão de pessoas.

Quais são os principais sintomas?

Na maioria das vezes, a doença pode se manifestar sem sintomas no início. Isso porque a perda da visão só acontece nas fases em que a doença está mais avançada, e já tenha comprometido primeiro a parte da visão periférica.

Em seguida, a visão se estreita de maneira gradual e se transforma em uma visão tabular. Dessa forma, se não houver tratamento, a pessoa doente poderá ficar cega.

Quais são os fatores de risco?

A doença tem origem hereditária, ou seja, familiares que possuem histórico da doença tem mais chances desenvolvê-la também.

Este é apenas um dos fatores de risco, além dele, há outros que podem colaborar no aparecimento da doença, são eles:

  • Elevada Pressão intraocular;
  • Idade superior a 60 anos ou superior a 40 anos (para Glaucoma – casos graves);
  • Doenças diversas, tais como: diabetes, problemas cardíacos, hipertensão, entre outras;
  • Afro americanos são mais propensos a desenvolver glaucoma do que pessoas caucasianas, principalmente os acima dos 40 anos de idade
  • Histórico familiar de glaucoma pode elevar as chances de um indivíduo desenvolver a doença também;
  • Doenças de olho, como: tumores, descolamento de retina e inflamações;
  • Uso prolongado de medicamentos específicos, tais como: medicamentos à base de corticosteroides.

O diagnóstico só pode ser feito depois de exames específicos solicitados pelo oftalmologista.

Então, é muito importante que você faça um check-up anual com o médico, para cuidar da sua saúde ocular e realizar os diversos exames que verificam não só essa doença, mas várias outras também.

Como já foi dito, a doença pode se manifestar sem sintomas no início, por isso, quanto antes você procurar um oftalmologista especialista, melhores são as chances de seu tratamento.

Como é o tratamento para Glaucoma

Não há cura para a doença, mas há alternativas de tratamento para que a perda da visão possa ser controlada e também para que os sintomas não prejudiquem tanto a sua qualidade de vida.

Cada tratamento deve ser considerado de maneira individualizada, considerando alguns fatores:

  • Nível de gravidade da doença;
  • Idade;
  • Histórico individual;
  • Espessura da córnea.

No Glaucoma, o tratamento tem como objetivo o controle ou a diminuição da pressão intraocular.

Em algumas situações, o tratamento de Glaucoma pode ser feito por meio do uso de colírios. Seria o tratamento farmacêutico da doença, sem intervenção cirúrgica.

Algumas pessoas, porém, precisam de tratamento cirúrgico para reduzir a pressão intraocular a níveis mais baixos.

As intervenções cirúrgicas são seguras e o oftalmologista é o médico habilitado para realizar a cirurgia de Glaucoma.

O tempo de duração da cirurgia de glaucoma depende da técnica utilizada, mas costuma durar em torno de 40 minutos. A recuperação da visão é, em geral, rápida. Com uma semana após a cirurgia a visão já deve estar como antes.

Como é feita a prevenção

Não há como prevenir um glaucoma de ângulo aberto, mas pode-se evitar a perda da visão. Diagnóstico precoce e cuidados meticulosos com a doença são chaves para a prevenção da cegueira.

É muito importante fazer consultas anuais ao oftalmologista e realizar sempre alguns exames de prevenção para evitar os sustos causados pelo glaucoma.

Além disso, existem alternativas de autocuidado que podem ajudá-lo a detectar a doença precocemente, limitar a perda de visão ou retardar seu progresso.

  • Receba cuidados oculares regularmente: Realizar exames oftalmológicos completos e regulares pode ajudar a detectar o glaucoma em seus estágios iniciais, antes que ocorram danos irreversíveis. Pergunte ao seu médico para recomendar o cronograma de triagem correto para você;
  • Conheça o histórico de saúde ocular da sua família: Casos de glaucoma na família apresentam risco aumentado, você pode precisar de triagem mais freqüente;
  • Exercite-se com segurança: Exercícios moderados e regulares podem ajudar a prevenir o glaucoma, reduzindo a pressão ocular. Converse com seu médico sobre um programa de exercícios apropriado;
  • Use os colírios prescritos regularmente: Os colírios de glaucoma podem reduzir significativamente o risco de que a pressão ocular alta progrida para glaucoma. Para ser eficaz, os colírios receitados pelo seu médico devem ser usados regularmente, mesmo que você não tenha sintomas;
  • Use proteção para os olhos: Lesões oculares graves podem levar ao glaucoma. Use proteção para os olhos ao usar ferramentas elétricas ou pratique esportes de raquete de alta velocidade em quadras fechadas.